Blog do Departamento de Juventude da Aliança Evangélica Portuguesa

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Economia e a juventude cristã

E nós cristãos evangélicos, jovens, interessados naquilo que nos rodeia, no mundo...
O que dizemos a isto tudo?
Temos uma opinião? Acreditamos no capitalismo? Liberalismo? Socialismo? Comunismo? ...
Temos fé e esperança?
Qual o futuro que nos reserva?

Hoje o primeiro ministro de Itália, o Silvio Berlusconi sugeriu o fecho das bolsas por 2 ou 3 anos, tempo indeterminado. Angela Merkl decidiu disponibilizar 500 mil milhões de euros à banca alemã! Portugal disponibiliza 50 mil milhões de euros. O nosso primeiro ministro garante que os objectivos do défice para 2009 serão repensados. Já não será 2%!

E nós? Reagimos a isto? Ou somos levados pela onda?
Agarramos oportunidades e tentamos evangelizar com todas as nossas forças? Ou tentamos ajudar quem nos rodeia, e quem mais precisa? Ou limitamo-nos a ler e a ouvir os comentários que nos circundam constantemente? (confesso que este último é o meu erro muitas vezes!)

Acredito que é tempo de levar uma mensagem de esperança e de ânimo. Não de esperança na nossa economia, mas uma mensagem de esperança na vida, na alegria, no dia a dia. O desespero e o pânico que podem estar a chegar, ou não, de pouco podem valer.
Devemos aproveitar as oportunidades para evangelizar, mas sem dúvida que ninguém nos ouve quando o estômago está vazio. Há pessoas que têm a cabeça e o coração centrados na economia, no desastre que se aproxima, e temos que estar actualizados, não viver aliados de tudo isto e perceber (quiçá até explicar a quem nos rodeia), o porquê e o como de tudo isto... Se existirem algumas respostas...

Pela assessoria de juventude da aliança evangélica
Luís Calaim

3 comentários:

Samuel Mendes disse...

Luis, concordo e subscrevo este teu desafio. As crises são oportunidades para repensarmos juntos o caminho e ao mesmo tempo unir esforços para servir e mostrar que temos esperança no Senhor da História. Quando os mercados mais necessitam de confiança para voltar a funcionar tornam-se numa parábola dos tempos modernos, dos talentos e do bom samaritano. Talvez a parábola que temos a ilustrar com a nossa vida seja a do "samaritano talentoso". Abraço.

Anónimo disse...

Eh ... mas isso (esse entusiasmo) só acontece se pelo menos se conseguir manter acima da base da pirâmide de Maslow, qdo não, está provado científicamente que com fome ninguém pensa direito. Não sejamos ingénuos... pois o Lázaro era pedinte e desejava se alimentar de migalhas do rico; não pensemos que estamos livres e vamos nos sentir sempre animados e com acapacidade de lutar por sonhos. Paz. se tiverem contra-argumentação, estou desejoso de ouvi-la.

Luciano disse...

Luz do mundo e sal da terra.
Que possam ver que o desejo de subjugar o próximo que levou a este clima de insegurança mundial, nada mais do que o pago pelo erro.
Nossa mensagem é o Evangelho, que através dele possamos dar nossa resposta ao mundo.

Graça e Paz